DIÁLOGOS BOBINHOS

Ao contrário dos outros diálogos bobos que eu costumo publicar, estes aqui são 100% ficcionais. São, digamos, os que eu e o gatim ou eu e meus amigos (de agora) poderíamos ter tido quando crianças, com toda a capacidade que sempre tivemos para fazer importantíssimas perguntas e elaborar filosofices... mas com a lógica e a linguagem típicas da infância. É sem muito orgulho, mas com boa dose de cara-de-pau, que Cyn City Inc(ompetent industries) apresenta :

 Filhosofilhas novinhos em folha

DIÁLOGOS DE PLATINHO - RELIGIÃO

 

-... mas por que é que chamam ele de “Papai do céu” ?

- Porque supostamente ele mora no céu, oras, bem lá em cimão, pra poder ficar de butuca na gente o tempo todo, vendo quem é bonzinho e quem é mau, pra depois mandar uns pro forno e os outros pra ficar lá no céu junto com ele, todo mundo de vestidinho branco e  tocando umas guitarrinhas pequenininhas  sem braço, assim...

- Não, cê não tá entendendo. A parte do céu eu até entendo, eu não entendo é que, se tudo isso é invisível, como é que eles sabem que é “Papai”. Por que isso ? Por que não “Mamãe do Céu” ?

- Ah, sei lá. Acho que é pura dedução. Vai ver olharam em volta, viram o mundo assim, com tanta gente sem dinheiro nem pra comer, sem casa, sem escola, sem carinho e sem colinho...

- ... e ?

- Uai, raciocínio lógico, né ? Cê acha que uma mãe faria uma coisa dessas com os filhos ?

- É, parece mais coisa de pai mesmo.

- Só é. Aposto que esse cara tem outra família com mais um bilhão ou dois de filhos em algum planeta por aí.

- Então é por isso que ele esqueceu da gente...

-...e nem paga mais pensão.

 

 

DIÁLOGOS DE PLATINHO – LINGÜÍSTICA

 

- ...mas se ela queria dizer “não”, por que é que falou “Pois sim” ?

- Porque é assim que ela fala, né ? Cê não viu que também às vezes ela diz “Pois não” quando quer dizer que sim ? E chama a gente de “anjinho” quando quer dizer “capeta” ? E fala “o gêêênio do meu marido” e “a fofa da minha sogra” quando todo mundo sabe que ela acha o tio Zé uma anta e a Dona Isaura uma vacona ?

- É... e depois a gente que é maluco !

- Pois é. Quem é que vai saber que quase toda vez que ela fala uma coisa, a gente tem que entender o contrário ?

- Hehehe, será que quando a gente pede biscoito antes do almoço e ela diz que de jeito nenhum, na verdade ela quer dizer “claro, pega lá, aproveita e pega uns três pra sua irmã também” ?

- Humm, acho que não... mas sabe que cê acaba de me dar uma ótima desculpa !!?

 

 

DIÁLOGOS DE PLATINHO – RELAÇÕES INTERNACIONAIS

 

-... deixa ver se eu entendi. Eles saíram do país deles porque lá não tinham liberdade nenhuma pra nada e foram morar no país dos outros. Tipo uma visita que nunca mais vai embora ?

- É. Mas é uma visita que pelo menos trabalha e paga as próprias contas, ajuda na manutenção da casa e tal.

- Tá certo, mas de qualquer forma, não é a terra deles.

- Não. Alguns até se naturalizam, mas a maioria nem faz isso. Tem uns que nem fazem questão de aprender a língua.

-...e aí eles criam caso com o jeito dos donos da casa viverem no próprio país, e aproveitam a liberdade que esse país novo dá pra protestar, ofender e ameaçar de morte as mesmas pessoas que dão liberdade pra elas... porque elas vivem do jeito que querem no país que é delas mesmas ?

- É.

- E por que é que então eles não voltam pro país antigo que é do jeito que eles gostam ?

- err...

- Já sei ! Vai ver eles são que nem a tia Odete, que implica com o tio Walter o tempo inteiro e fica falando que o ex-marido dela é que era bom, mas não volta pra ele porque senão vai ficar pobre de novo... e se reclamar ainda apanha pra largar de ser besta.

 



Escrito por Cynthia às 17h06
[] [envie esta mensagem]



ARE YOU TALKING TO ME ?

 Você é grande mas não é dois... deve ser uns sete !

Eu e a minha mania de falar tudo o que eu penso. Eu e a minha mania de falar sozinha – e alto. Eu e a minha mania de sempre andar com os vidros do carro fechados. Eu e a minha distração, achando que ainda estou com os vidros fechados mesmo quando estão abertos. Eu e todas essas características se unindo pra eu falar, em alto e bom som, “Puta merda, esse aqui estacionou com o rabo” ao parar do lado de uma – óbvio – pick-up imensa, que ignorou a facilidade de se aproveitar, sem necessidade de abuso, as ótimas e enormes vagas do estacionamento do meu shopping preferido e parou seu portentoso veículo automotor - que eu seeeempre acabo encarando como uma extensão compensatória das certamente diminutas proporções genitais do motorista, não posso evitar - da forma mais absurda possível, em diagonal e ocupando bem mais espaço do que precisava.

Claro que, no exato momento em que eu falei isso, o próprio estacionador rabal estava chegando, com seu acompanhante, para ir embora. Claro que ele ouviu tudo. Claro que enquanto eu estacionava, desligava faróis, juntava minha bolsa, chaves etc. pra descer, o fuderoso ficou parado, de pé, fora do carro, felizmente calado e, suponho, me olhando. Não tenho certeza porque nem olhei pro lado dele (se houvesse um esporte olímpico relacionado à capacidade de se ignorar quem não se deseja ver, eu seria medalha de ouro em todas as modalidades, com ou sem óculos, de perto ou de longe, sozinha ou em equipe.).

Fiquei com uma vergonhazinha, óbvio, mas também não tirei meu pequeno e querido carrinho de lá pra parar em outra vaga mais distante. Afinal, mico ou não mico, se alguém tinha mesmo do que se envergonhar ali, certamente não era eu. Desci do carro e entrei no shopping de cabeça erguida e olhar altivo. Mas que quando saí pra ir embora, fui rezando pra não encontrar meus pneus arriados ou a lataria riscada, lá isso fui, afinal eu sei muito bem onde moro e do que são capazes os riquinhos da terra de Marlboro. E olha só que boa surpresa, borrachas e pintura estavam intactos. Por sorte ou por milagre, o tal picapeiro espaçoso era menos babaca do que eu supunha. Mas continua sendo um tremendo barbeiro. E muito do folgado.



Escrito por Cynthia às 13h53
[] [envie esta mensagem]



PESOS E MEDIDAS

ou MEU OITO DE MARÇO CHEGOU ATRASADO

Tem doida gente que acha que feminismo é coisa do passado, que já alcançamos a igualdade total faz tempo e que quem não vê isso só pode ser histérica, horrorosa ou mal-comida.  Bom, eu sou irritada, mas não chego à histeria, tô gorda, mas não chego a ser horrorosa, e tô muito bem-amada, obrigada... mas  juro que não vejo essa igualdade toda, não.

Outro dia vi na capa do jornal a “notícia” de que aqui em Boiânia, 4 em cada 10 mulheres já fizeram cirurgia plástica e outras 4 ainda querem fazer... aí me lembrei de que dias antes tinha ouvido, pela bilionésima vez, alguém – e o alguém era fêmeo, é bom dizer - citar como genial a velha e cansada frase “As feias que me perdoem, mas beleza é fundamental” e fiquei pensando que, engraçado, ninguém estranha ou ri do fato de que isso foi dito/escrito por um velho barrigudo, careca e horroroso que nem no auge de sua juventude e magreza nunca foi sequer “engraçadinho”, que dirá bonito. E o pior é o tanto de mulher que acha essa frase, e o resto do poema a que ela pertence, lindos de morrer, ou seja : que aceita que o fundamental é ser bonita – provavelmente são as mesmas que gastam o que têm e o que não têm se arriscando a complicações pós-operatórias e a charlatães (ou será charlatões ? Socorro, Aurélio Pasquale !) deletérios enquanto tentam virar uma espécie de FrankensTina sexy, com o nariz da atrizinha, o peito da modelete, a bunda da dançarina de arghxé e o umbigo da ex-trela de reality show. O pior é que o cérebro, pelo jeito, já é igualzinho.

Eu sei que é besta ficar grilada com o fato de esse tipo de mentalidade ter virado o dominante, mas eu fico. Isso pra mim é tão escroto como se de repente negros danassem a aplicar ácidos esquisitos na pele tentando ficar brancos (...because I'm bad, I'm bad...) ou orientais desamendoassem os olhos  à faca e botassem próteses na ponte do nariz só pra ficarem mais parecidos com o que os caucasianos dizem que é o bom ou o “certo”.

Parei de pensar nisso por puro medo de chegar à conclusão de que nós, mulheres, merecemos mesmo é ser tratadas como picanha no gancho. Ou vocês conseguem imaginar os homens comuns (com IMC maior que 25, com cobertura capilar irregular e músculos de gelatina, ou seja, a maioria absoluta) se arrepiando, se emocionando, sublinhando seus versos preferidos e lendo uns pros outros - e entrando na faca por causa dele - um poema escrito por uma mulher – de preferência galinhuda, velha, balofa e feia - dizendo, com palavras melífluas porém inequívocas, que homem (hétero) pra ser digno de amor tem que ser alto e lindo, saber se vestir, ter barriga de tanquinho, lábios carnudos, sobrancelhas grossas, umbigo pra dentro, bíceps malhados, tez bronzeada por igual, cabelos fartos, pêlos assim, lombo assado (sorry, não resisti), e que TUDO que ele fizer tem que ser “belo e inesperado” ? Eu não consigo, e olha que eu costumo ter imaginação bem fértil. E mesmo que conseguisse, não ia achar a menor graça num homem desses, porque afinal, o que é que ele seria ? Bobo, sem senso crítico, sem um pingo de auto-estima e ainda por cima... feio. Hohoho.

 



Escrito por Cynthia às 03h42
[] [envie esta mensagem]



O EVANGELHO SEGUNDO SÃO JOÃO DA BARRA, SAN RAPHAEL E SAINT RÉMY

ou DIÁLOGO HERÉTICO VIA MSN

 

- Vamo mudar seu nome pra Kátia. Kátia Cera.

- Ieeeeu ?

- Não, a madre superiora do Santa Clara.

- Bem que eu vi que ela tava com o hábito cheio de giz azul... e nem come mais hóstia, que com a ressacona aquilo vira farofa na boca dela.

- Então é isso, aquela cara de brava é pura dor de cabeça.

- E raiva, que ela acha que esse negócio de pagar 10% pro garçom não é de Deus.

- Isso porque ela é católica. Se fosse crente achava normalzim, é o dízimo, né ?

- O pior é que como ela acredita em santo, dá pinga pra eles e paga tudo sozinha, ninguém divide a conta.

- Pois é, a santaiada tá tudo enchendo a cara. Diz que Santo Antônio perdeu o menininho e nem lembra onde foi.

- e cê sabe como começou a fama do São Francisco, né? Bebaço, cachorro lambendo a boca e por aí vai.

- hahahaha... e Madalena, cê acha que tava arrependida do quê ? Foi beber com o time do Flamengo e ó :  todos os 11...

- hahahahaha... mas a culpa é do Sanfra, que tava bebaço, tava no mesmo bar e aconselhou: é dando que se recebe, minha filha.

- Esse Chico...

- e assim fez-se a luz. E depois a casa da luz vremeia.

- hehehehehe, e são Benedito, que era loirim, encheu o cu de pinga, dormiu na praia e acordou daquela cor...

- hahahahahahahahahahaha... HEREEEEEEEEEEEEGE

- Eu não. Mas também não sou muito católica mesmo...

- E adivinha onde foi parar a espada do São Jorge. Bebaço, encarou cada dragão...

- HAHAHAHAHA, coitaaaaaado !! Mas ó, pó parar que meu repertório de santo acaba aqui... ah, não, tem só mais uma : Santa Luzia, que parou de beber porque tava custando os zói da cara...

- Ah, não precisa falar nada é do São Tomé.

- Não adianta falar, eu só acredito vendo.

- hehehe... bom era o tumé que ele dava no povo, quando chegava a conta no bar.

- Hahahahahaha... eita, que zona. Quer dizer que Santo Ofício era isso, então ? Entornar todas ?

- hehehe... reza a lenda que sim

- Então até que não era tão ruim, né ? O pessoal da tradução é que confundiu pegar um fogo com tocar fogo, e aí fez-se a merda...

- heheh.. tem até a teoria de como é escolhido o papa, sacomé? diz que aquele lance da fumacinha lá pra escolha do papa é mó churrascão. Todo mundo bebendo, putaria rolando solta. O último que fica, que dá conta de agüentar o tranco até o final, é o papa. Aí ele joga água na churrasqueira, fecha o boteco e pronto.

- hahaha, ótima !! Então aquelas olheironas roxas do Sé Bento são pura ressaca também, né ?

- também. Mas ele andou levando uns murros por conta de dívida de jogo, no churrasco.

- Caramba. Levar um soco de cardeal, com aquele anelzão, deve machucar mesmo.

- hehehe... ah, e aquela fumacinha que eles ficam balançando nas missas é pra disfarçar o cheiro da cachaça, que peido de ressaca é uma coisa muuuuuito fedida... ainda mais eles, coitados. O peido fica concentrado ali dentro daquele vestidão.

- Hahahaha, creeeeeeedo !! Então decerto o "vinho" na verdade é vodka com anilina, pra não cheirar...

- ou é só pra rebater mesmo.. hahahahahaha, boa teoria!

- Eu hoje tô que tô. Se desse conta de usar essa "criatividade" toda pra trabalhar, era provavelmente uma Nizana Guaninhas.

- hahaha... ah, e imagina os tira-gostos: hóstia sabor pururuca, bacon, barbecue

- Hum, hóstia sabor salaminho...

- putz, eu também. Eu ia ser marcelinha cerpa (que pelo menos é marca de cerveja). heheh... já pensou? só mandar um limãozinho

- Nossa, mas se você virasse o Marcello lindão, dando sopa por aí cheio de pinga, eu ia ser obrigada a pegar tu. Não pela cerveja, mas pelo marceeeeeeeeeeeeeeeelllllllllo...

- opa, pó parar. nóis pode ser bêba, mas cada um com o seu cu, que ele tem dono.

- Hahahahahahahahahaha, sua beeesta.

 



Escrito por Cynthia às 17h32
[] [envie esta mensagem]



NÃO VALE O ESCRITO

ou A VIDA COMO ELA É... MESMO !

 

 

Há centenas e centenas de anos, numa galáxia distante... não, peraí, na verdade foi há uma década ou duas, no máximo. Naquele tempo, um dia eu vi uns pedaços de um filme nacional, que apesar de não ser muito bom, não deve ter sido também tãããão ruim, já que não deixou maiores traumas : esqueci quase tudo, do nome ao enredo, incluindo o elenco. Mas teve uma frase que eu achei sensacional, da qual me lembro até hoje - e que acho que foi dita pelo Paulo José. O personagem, deprimido após um fim de caso, dizia a outra pessoa : “Desde que fulana foi embora, eu durmo feito um bebê : acordo de duas em duas horas, chorannndo.”. Por alguma razão – talvez falta do que fazer -, me lembrei disso hoje e comecei a pensar na quantidade de frases-feitas e expressões que a gente usa sem pensar, e que, se pensasse, veria que não fazem o menor sentido; que na verdade, se fossem levadas ao pé da letra, significariam quase que exatamente o contrário do que supostamente querem dizer. Aí vão algumas das que me ocorreram, com tradução simultânea :

 

“Agüente isso feito um homem” :

Reclame, resmungue, faça manha para que a mulher mais próxima te paparique, culpe alguém e diga que vai morrer daqui a cinco minutos... de cinco em cinco minutos.

 

“Fulano é um cachorro” :

Fiel, companheiro, desinteressado e amigo pra todas as horas.

 

“Ela é uma mãe pra mim” :

Me critica o tempo todo, diz que nós não temos nada em comum e que não sabe onde errou comigo.

 

“Conheço essa pessoa como a palma da minha mão”

Ela sempre esteve por perto, mas eu nunca olhei pra ela por mais que dez segundos e não poderia descrevê-la nem pra salvar minha vida.

 

“Sicrano é uma moça”

De vez em quando fica irracional, se estressa à toa e grita com todo mundo, depois chora... e aí come um montão de chocolate e diz que vai pra casa porque não tá bem.

 

“Comi feito um padre”

Um pouco de pão, um monte de vinho e um garotinho de sobremesa.

 

“Ele é um anjo”

Bebezão, barrigudinho, vive pelado e não perde uma chance de botar as asinhas de fora.

 

“Essa menina é um doce”

Quando não dá azia, dá cárie ou dor de barriga.

 

“Isso aí vai ser sopa”

Vai demorar pra fazer, vamos suar pra encarar e no final ninguém vai ficar satisfeito.

 

“Ele é uma criança”

Não pára quieto um minuto, é barulhento, inconveniente, pidão e insistente, e quando menos se espera faz uma cagada. E o pior é que a gente não pode nem bater nesse moleque dos infernos.

 

“Você é minha rainha”

Mal-humorada, inútil, fria, velhusca, fora de moda e não manda nada.

 

“Esse cara é um touro”

Chifrudo, come capim e a mulher (ou a mãe) dele é uma vaca.

 

“Ela é uma estrela”

Imensa, isolada e já morreu faz tempo, mas ninguém percebeu.

 

“Ele é um gênio”

Mora numa garrafa, só acorda quando lhe dão um esfrega e só trabalha três vezes a cada mil anos.

 

“Essa pessoa é uma viagem”

Vive cercada de malas, cansa quem a encara e quando você chega lá não era aquilo tudo que diziam.

 

“Fulaninho é um animal na cama”

Peida, solta pêlo, ronca e baba no travesseiro.

 



Escrito por Cynthia às 13h30
[] [envie esta mensagem]



PATA N'ÁGUA

OU HOMO FEMINA ACQUATICUSAE

 

I'm siiiiiingin' in the raaaaaaain...

 

Documentário que me deixa ainda mais feminista-anti-religião-revoltinha que o habitual, seguindo de uma noite mal-dormida (tell us something new, Cynthia dearest), 43 reais de saldo no banco, + 20 kg acima do desejável na balança, tríceps de gelatina, dores crônicas e agudas em articulações variadas, azia infernal, trânsito ainda pior e mais congestionado que o de costume, um aguaceiro que transforma em correnteza até as avenidas mais largas da cacópole, deixando buracos imensos no asfalto – e isto no mesmo mês em que governos diversos nos esfaqueiam fundo com seus impostos supostamente destinados a cuidar da manutenção dessas coisas - , sapatos encharcados, cabelo de doida, gatim dodói e a nítida impressão de que eu não consigo mais usar salto alto por mais que algumas horas... e ainda assim eu estou extremamente bem-humorada, contentinha e assoviante, pela única e besta razão de que está chovendo MUITO. Será que se eu me oferecer como objeto de estudo ensejando a descoberta de uma nova forma de loucura (ou vício) chamada “pluviomania” eu não descolo um troco não ?

 



Escrito por Cynthia às 13h25
[] [envie esta mensagem]



MINHA INTUIÇÃO FEMININA PODE ATÉ ESTAR ERRADA...

...mas ao que tudo – principalmente a data de hoje - indica, este ano serei absolutamente poupada de criar sequer um mísero anúncio, spot, VT, outdoor, bandeirola, flyer, banner de internet ou sei lá, o cazzo iluminato em “homenagem” ao tal do dia internacional da mulher. E esse é o melhor presente que esta mulherzinha aqui poderia pedir.



Escrito por Cynthia às 13h37
[] [envie esta mensagem]



MY ENEMIES' ENEMY

Quem me lê há mais tempo já sabe que eu tenho a discutível sorte de ter como vizinhas algumas das mulheres mais gritonas, mal-educadas, agressivas e desagradáveis de Boiânia. Quem ainda não me viu falar delas e tiver curiosidade e tempo sobrando (alguma inclinaçãozinha masoquista também ajuda), pode ver uma amostra aqui, ou, graças ao nosso querido Ratapulgo, aqui no copy & paste. Eu sei que tem mais, mas nem lembro da data, e além do mais o uol blog não tem permalink. Algo que talvez eu ainda não tenha contado é que, sempre que vamos saindo de casa e ouvimos os berros das tipas no hall, ou seus murros no botão de chamar o elevador, adiamos nossos planos até que elas desocupem a área, estejamos ou não com pressa. Nas raras vezes em que não conseguimos fazer isso – por exemplo, quando já estamos entrando no elevador e elas chegam – já sabemos que não agradecerão quando segurarmos a porta para elas, que gritarão umas com as outras (ou ao celular) até o térreo ou o subsolo e que, chegando lá, sairão desabaladas feito vacas bravas, sem se preocupar se a porta do elevador vai voltar e bater na cara de quem quer que seja. Eu tenho muita, muita preguiça delas, mas para minha tristeza, não creio que se mudem tão cedo : o apartamento não é alugado e elas gastaram uma boa grana reformando tudo – com o máximo de barulho e sujeira possíveis, óbvio – ; se o homem agüentou aquela mulher até hoje, provavelmente vai morrer casado com ela; e por fim,  as moças não parecem ser do tipo que se muda e vai cuidar da própria vida quando chega à maioridade – aliás, ou elas já chegaram lá faz tempo ou são muito (fisicamente, pelo menos) desenvolvidas pra idade, e continuam firmes. Por tudo isso é que hoje, ao ouvir a gritona-mor falar pras suas gritoninhas, enquanto eu entrava num elevador e elas saíam do outro (phew) que “com essas baratas não adianta. É mais fácil eu mudar daqui do que elas pararem de aparecer lá em casa”, eu não só fiquei feliz por ouvi-la pela primeira vez na minha vida, como também me vi subitamente tomada de amor por esses insetos que, até hoje à tarde, pra mim só eram motivo de ódio e asco. Pra ser bem franca, se eu acreditasse que ela se mudaria de verdade, era até capaz de criar algumas cucarachitas lá em casa, só pra manter uma provisão constante no apartamento delas. Afinal, baratas podem ser nojentas, cascudas, sujas e transmitir doenças, mas têm uma vantagem colossal sobre minhas estimadas vizinhas : são absoluta, completa e totalmente mudas.

Isn't she lovely ?



Escrito por Cynthia às 16h09
[] [envie esta mensagem]



TRAILER TRASH

É só “cumiga” ou tem mais alguém aí que, quando vai ao cinema e é obrigado a ver trocentos trailers antes do filme mais tranqüilinho e hipodecibélico que conseguiu encontrar, quanto mais vê explosão, sangue em profusão, chineses espadachins-acrobatas-voadores, efeitos especiais estrambóticos, paisagens grandiosas, batalhas épicas, trilhas retumbantes, guerreiras gostosonas seminuas e gostosões guerreiros de saiote, mais sofre com um explosivo, profuso, acrobático, estrambótico, grandioso, épico, retumbante e nada, nada gostoso tédio ?

 

 



Escrito por Cynthia às 00h54
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Livros


 


Histórico
01/05/2017 a 31/05/2017
01/02/2017 a 28/02/2017
01/01/2017 a 31/01/2017
01/11/2016 a 30/11/2016
01/09/2016 a 30/09/2016
01/06/2016 a 30/06/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/11/2015 a 30/11/2015
01/09/2015 a 30/09/2015
01/08/2015 a 31/08/2015
01/07/2015 a 31/07/2015
01/06/2015 a 30/06/2015
01/03/2015 a 31/03/2015
01/11/2014 a 30/11/2014
01/10/2013 a 31/10/2013
01/09/2013 a 30/09/2013
01/05/2013 a 31/05/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/10/2012 a 31/10/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/05/2012 a 31/05/2012
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004


Outros sites
Gatim Forever
Fal
Scarlet Cam
Crônicas Urbanas
Ma Helena & Chris
Smorgasblogs
Fridas
Marcio Gaspar
Avant dernière
Zeno & Pinto
Ratapulgo
Mau humor
Mme Mean (& Belly !)
Max
O Bagaço da Laranja
Inagaki
Solange
Jean Boechat
Rozzana
Malvados
Catarina (with a ghostwriting mum)
Yara
Milton Ribeiro

rmx, el pupo et al
Catarro Verde
Cláudia Lyra
Patty Diphusa
Blog da Xará
Dito assim
Hermenauta
Paula
Claudio Luiz
l.
Carla
He Is Evil
Edu
Kris
Lu
Renata
Idelber
Lola
Pausa
Sambambaia psicótica
Rubão
Beth
LuiGu
Tec
Silvana
Uh Baby
Celinho
Dalva
Carol
Reverberações
Adrina
Viking Zen
Deh
Zé da Goma
Bela
Calexico
Googa Alayon
Meg Marques
Nervocalm gotas
Non importa dove
Tati Perolada
Pedro
Jojo
Dra. Cristiane
Tuca
Pat Köhler
Marcos VP
Cyn City - The old town
BBC (Ivan Lessa)
Mutts
Post a secret
Cattoons
Orneryboy
Her !
Rose is Rose
Clientcopia
Comix w/o words
Cute (kids') games
AJUDE O INSTITUTO CISNE
Zé Simão







UOL
adopt your own virtual pet!