BLAIR WITCHES' PARKING SPOT

As moças (e a coroa) que moram ali são umas grossas, estúpidas, bocas-sujas, belicosas, superficiais, burras, desagradáveis, gritonas, permanentemente exaltadas, neuróticas, descompensadas, totalmente desprovidas de superego, senso de decoro, pudor e civilidade básica. Mas devo admitir que a garagem delas é bem bacana. Aliás, é a primeira vez que eu vejo garagem assim, dentro do apartamento, com espaço pra cinco veículos e suspensa... a mais de 20 m do térreo, com acesso somente pelo elevador - ou pelas escadas estreitinhas. Tem até uma vaga só pro modelo de chuva (o vermelhinho, à direita), olha só.

Alcéia, Meméia, Gritilda e Chiliquinha - mais o modelo com pneus de chuva



Escrito por Cynthia às 18h22
[] [envie esta mensagem]



DIÁLOGOS TOLINHOS DE DAR DÓ

  

   Nelson: Putz. Vieram parar no meu blog atrás de "pantufa do Pluto". Caralho!

   me: Hahahahahaha... e você, ficou pluto em cima das pantufas ?

 


David Letterman (com tradução simultânea) : Ontem, dia 16 de abril, foi o aniversário do Papa Bento XVI.

me: Hah, sabia.

Nelson: O quê ?

me: Que o Ratzinger era a-ri-aaa-no...

 


  Nelson: Sabe qual a operadora de celular preferida pela colônia judaica ?

    me: Mmm, deixa ver... Tel-a-Vivo ?

    Nelson: Não. Oi, vey !

 


  Nelson: :-(

  me: :o*

  Nelson: :_*

  Aaaaah, meu nariz caiu!

 


 me: Cê viu que a D*** G*** caiu de um oitavo andar e num morreu ?

 Nelson: Vi, sim. Parece que um telhado de amianto amorteceu a queda...

 me: Pois é. It's raining women...

 



Escrito por Cynthia às 16h35
[] [envie esta mensagem]



CAMARADA FANTASMINHA

ou PIADA PRONTA E VODKA GELADA NÃO SE DEVE DESPERDIÇAR NUNCA

ABSOLUT IELTSIN

Bye, bye, Boris

Dasvidaniya, tovarich.

 



Escrito por Cynthia às 16h02
[] [envie esta mensagem]



BYN OU GYN ?

ou PAINT IT BLACK

 

O Ian Black, meu futuro colega de portal, provavelmente ignorando que o primeiro nome deste meu bloguinho, logo que surgiu, era “Odeio Boiânia”, me escalou pra listar cinco coisas legais pra se fazer em Goiânia, minha cidade. Bom, foi você quem pediu, então agora agüenta, Ian :

 

Pra começar, é mentira esse papo de que o melhor lugar pra se ir em Goiânia é o aeroporto. Primeiro, porque o aeroporto de Goiânia é uma merda, e depois porque também tem a rodoviária, ou pra quem prefere fugir de carro ou a pé, uma porção de estradas que saem daqui. A variadas distâncias da cidade, existem pontos turísticos como Pirenópolis (pra quem gosta de cachoeiras, trilhas, ladeiras, ruas pedregosas, pernilongos e turistas brasilienses under one influence or two); Caldas Novas e/ou Pousada do Rio Quente (piscinas naturais de água termal, pra quem curte se sentir uma cenoura boiando na sopa junto com o caldo de milhares de galinhas, piranhas e outros bichos, bípedes ou quadrúpedes – se é que me entendem -, tudo isso ao som de muito axé music no talo); Rio Araguaia (quilômetros e mais quilômetros de praias de areia branca, gaivotas fluviais, boa pescaria e muito, muito pernilongo, borrachudo e carapanã, mas muito mesmo.); Três Ranchos (uma represa que virou playground de rico graças ao seu belo lago azul, perfeito pro tipo de gente que escreve “jet ski” com Y mas tem ao menos dois, pra brincar com eles e comparar qual é o mais novo, potente e caro); Cidade de Goiás, mais conhecida como Goiás Velho (a primeira capital do estado, é mais ou menos a mesma coisa que Pirenópolis, porém com menos bras-ilhéus circulando – e em junho tem o Festival Internacional do Cinema Ambiental, a que eu nunca fui e do qual já ouvi falarem bem e mal, mas que, apesar das rimas cachorras no próprio nome, deve ter lá seu charme); Alto Paraíso (pra quem acredita em disco voador e acha que os E.T.s são doidos o suficiente pra querer se misturar com os seres humanos); Chapada dos Veadeiros, Parque das Emas e Jalapão – este último é no  Tocantins, mas tá na área, se derrubar é pênalti (lindas paisagens, muito mato, muito bicho, muito inseto, muito sol. Minha idéia de pesadelo, mas eu sei que tem quem goste). Ah, é pra falar de Goiânia mesmo ? Bão, não me ocorre muita coisa, mas aí também admito que a culpa seja mais minha do que dela, apesar de a bicha ainda merecer o apelido que eu, nem tão carinhosamente assim, lhe dei há décadas, mas que continua valendo : Boiânia. Sim, sim, a agropecuária ainda é mestra dos bolsos, corações e mentes da maioria da população. Tem uma brava gente aí lutando contra, mas não é fácil. A minha culpa, no caso, reside no fato de que eu não saio muito, bebo pouco, não tenho mais paciência pra gente gritando, música alta demais com qualidade de menos, comidas com mais preço e pretensão do que sabor, falta de conforto nem tipinhos posudos. Como só vou aonde gosto, vou a bem poucos lugares. Mas vou tentar garimpar cinco pra indicar :

 

Glória – botequim charmosíssimo, perto do Fórum, onde a decoração é a maior estrela. Os petiscos também são legais e o chope (dizem) é de primeira, mas pra mim, a melhor coisa é quando você dá a sorte de pegar uma apresentação de chorinho ou samba tradicional. Também gosto da extrema variedade dos freqüentadores e do fato de a maior parte deles já estar longe da adolescência.

 

Restaurante Árabe – na Avenida 83, Setor Sul, o nome do árabe não é só falta de imaginação : é que ele é árabe mesmo, não é nenhuma rede de fast-food, não. É um lugar pra se ir quando estiver com a fome de quarenta camelos, porque a comida é muuuito farta, temperada, pesada e deliciosa, e vem à mesa enquanto você agüentar, num desfile interminável de pães, coalhada seca, babaganoush, cabrito, cordeiro, arroz com aletria, kafta, tabule, esfihas (as melhores do planeta), homus, charutos, quibes, biscoitinhos amanteigados de sobremesa e outras maravilhas que eu precisaria de 1001 noites pra descrever... e outras 2002 pra digerir. Mas cada garfada vale a pena.

 

Feira do Mel – o VP já escreveu isto a respeito de outras feiras, e nesta também vale o escrito : mulheres amam, homens odeiam. Mas tem muita coisa boa, bonita e barata - doces, salgados, chocolates, roupas, calçados, bolsas, bijouterias, jóias artesanais, pequenos móveis, brinquedos educativos, crochês, arranjos florais e mais uma porção de coisas de que nem me lembro agora - nesta feira, que acontece aos domingos à tarde na Praça do Sol, no Setor Oeste. E é bem menos lotada, bagaceira e irritante que a Feira da Lua, que acontece aos sábados à noite na Praça Tamandaré.

 

Sebos – na rua 4 do Centro*, no trecho entre a rua 9 e a avenida Tocantins. Há anos, um sebo se instalou na área e, ao longo dos anos, vários outros foram abrindo por ali também. A rua virou um verdadeiro sebo-shopping, onde se pode achar facilmente edições esgotadas e até livros, HQs, CDs e DVDs nem tão antigos assim por preços ótimos. Epa, acabou o espaço. Mas continua lendo aí embaixo que tem mais.



Escrito por Cynthia às 16h16
[] [envie esta mensagem]



BYN OU GYN ? CONTINUANDO

O quinto, elementa - Pra não ser injusta – e pra tentar conseguir completar cinco lugares ou coisas legais dessa cidade, pelamor, devo citar lugares que eu não freqüento (alguns eu nem conheço) mas que são queridos por quem é íntimo : Martim Cererê, onde acontecem – ou aconteciam – , entre outras coisas, shows de rock. Aliás, dizem que a cidade tá virando celeiro de bandas boas, inclusive com festivais (Go Rock, Bananada e o Goiânia Noise), que fazem a delícia de quem gosta de música indie e não se importa de passar a noite em pé; o centro cultural Oscar Niemeyer, aonde ainda não fui por birra estética contra o criador e por medo de ser soterrada – o troço foi terminado às pressas por questões políticas e ninguém me convence de que um dia a casa não cai; parques e bosques variados, que eu não costumo visitar porque confesso que só gosto de mato quando ele tem nome (agrião, rúcula, acelga, alface...) e está no meu prato, com pimenta do reino, sal e muito azeite extra-virgem; e, claro, um zilhão de bares, barzinhos, restaurantes e botecos, pra todos os gostos, com música ao vivo (ou não) de tooodos os gêneros, e públicos de todas as idades e classes. Dê uma volta, sinta o clima por uns cinco minutos e pronto : em breve você vai saber se ali é ou não a sua praia, e se for, com mais uns instantes vai estar se sentindo em casa. Detalhe : pra quem é tão fã de beber e tem tanto boteco, o goiano é antes de tudo um fraco. Ou um sonolento incorrigível. Só isso pode explicar o fato de que, em 99% dos bares, mesmo nos fins de semana, no máximo até as duas da manhã os garçons começam a empilhar cadeiras, tirar as toalhas das mesas e, se nem assim você se tocar, te pedir pra ir embora. Juro. Eu sei, é idiota, não sei por que fazem isso. Só sei que é assim.

 

Pronto. Foi o que se pôde arranjar. Descontado meu mau humor, Goiânia é até legal, lindinha, limpinha, floridinha e cheia de gente inteligente, bonita e simpática. Mais gente bonita e simpática que gente inteligente, mas também não se pode ter tudo, né ? E nem o resto do Brasil anda tããão espertinho assim, pra falar a verdade. Ah, aqui existe violência, claro, mas ela é bem menor do que nas grandes capitais. E alguns dos bons hábitos interioranos ainda sobrevivem, junto com os maus. Ou seja, a frieza que o VP encontrou em Brasília não costuma acontecer em Goiânia. Mas isso também está mudando, mais rápido do que deveria. Devem ser as tais correntes migratórias©... aliás, pra encerrar com um slogan publicitário do calibre que os anunciantes daqui gostam, lá vai uma pérola de originalidade ímpar** : Goiânia. Aproveite antes que acabe.

 

* Por mais que sejam largas, bonitas, limpas e arborizadas – e são -, não confie nos nomes das ruas, muitas delas batizadas com números : eles não fazem sentido nenhum. Ninguém deve supor que, porque está na rua 7, a próxima (ou a anterior) seja a 8, ou mesmo a 9. Sem contar que existem trocentas “ruas 7”  (e 8, 9, 15, 241 etc.) distribuídas por “n” bairros diferentes. Ah, e não pense que o aeroporto fica no Setor Aeroporto : o bairro tem este nome por causa do primeiro campo de pouso da cidade, construído na década de 40. O aeroporto de verdade (nem parece, é tão feio que se assemelha mais a uma rodoviária. Do interior. Do Piauí.) fica no Setor Santa Genoveva, bem distante do Setor Aeroporto, onde predominam as clínicas médicas e os vendedores de carros usados, tendeu ? Nem eu.

 

** Atenção, isto é uma ironia.

*** Caraio, esqueci de botar minha igreja, o Templo Único da Caçapa Sagrada, conhecido entre os infiéis como Snow Bar, na Av. Portugal. Com mesas grandes, Bohemia gelada pro gatim, guaraná diet gelado pra mim, atendimento maravilhoso pelo próprio dono e pelo chefe dos garçons, o Snow Bar é tudo de bom. Mas talvez eu não devesse recomendá-lo, não, já que ele anda até um pouco cheio demais pro meu gosto. Faz o seguinte : vai na sinuca da Vila Nova, na 5a Avenida (how NY is that ?), que também é legal, mas tem mais espaço entre as mesas. Deixa o Snow Bar só pra pessoas anti-sociais e antipáticas como eu mesma, a goianiense 100% atípica, pela própria e desnaturada natureza. ;o)



Escrito por Cynthia às 16h16
[] [envie esta mensagem]



BARF ON

ou O AMARGO VENENO DO ASNO ANÃO

 

Acho que nunca fui tão solidária às putas quanto hoje. Mesmo sem precisar saber os detalhes mais sórdidos da profissão (delas), juro que entendo perfeitamente o quanto é difícil, praticamente impossível, fazer o seu trabalho quando até a simples menção do nome do cliente é motivo de enjôo, repugnância, nojo, asco, repulsa, engulhos, náusea, ânsia de vômito e êmese incontroláveis.  



Escrito por Cynthia às 14h08
[] [envie esta mensagem]



IL PLEUT SUR BOIANIÁ

ou POSTERGEIST É MEU PASTOR E NADA ME APRESSARÁ

 

Eu sei que falei nele no post abaixo, mas, me desculpem, vou ter que falar de novo. Quem me lê há mais tempo a esta altura já deve ser íntimo do Postergeist, meu espírito-guia (ou será um encosto ?) teuto-baiano, que faz com que eu sempre adie absurdamente tudo o que preciso fazer em meu favor,  e ainda me deixa com cara de preguiçosa sem-vergonha perante a opinião pública (hah). Mas eu juro que ele é mais forte do que eu. E acabo de descobrir que além de me comandar à sua vontade 99% do tempo, quando eu me rebelo ele se alia a forças ainda mais poderosas para me punir pela ousadia. Um exemplo : há alguns dias, sentindo que o calor e a secura infernais do que a folhinha chama – estou convencida de que é sarcasticamente – de outono e inverno estavam firmemente estabelecidos sobre nossas moleiras até outubro, pelo menos, resolvi finalmente mandar fazer meus óculos escuros de grau (ah, não ter mais que escolher entre enxergar ou diminuir o ofuscamento, ah, não ver no retrovisor interno minha cara inteira franzida feito um maracujá de gaveta...). Na segunda-feira, ainda encantada com a possibilidade de ver aonde ia sem precisar fazer caretas pro astro-rei, aproveitei pra mandar lavar o coitadinho do meu carro, coberto de lama seca, de poeira e de vergonha desde que as águas de março fecharam o verão* – e, aparentemente, jogaram a chave no esgoto e fecharam a tampa com cadeado triplamente reforçado. Sei que isso não é nada, mas pra quem padece sob o jugo imperioso do Postergeist, estas pequenas atitudes foram uma vitória dupla, uma coisa incrível, e eu fiquei me sentindo como se tivesse escalado o Everest e atravessado o canal da Mancha de ida-e-volta, e ainda batido, montado e decorado um bolo de casamento de três andares com cobertura de fondant, tudo antes da hora do almoço. Pois é. Isso foi na segunda. E foi o que bastou pra que, contra toda a história climática do planalto central, desde terça de manhã tenha chovido TODOS OS DIAS, chovido torrencialmente, de deixar o céu branco, de derrubar folhas das palmeiras e fios dos postes, sobre Boiânia.

 

* em Goiás também conhecido como “as águas”, em oposição ao outono, inverno e primavera, mais apropriadamente chamados de “a seca”.

 



Escrito por Cynthia às 14h03
[] [envie esta mensagem]



SEM ASSUNTO

ou GOOD MORNING, GOOD MOURNING

 

Gatim acordou rindo, dizendo que sonhou que o Loola tinha lançado, com toda a pompa e circunstância, o programa Bolsa Diamante, que consistia no seguinte : a partir de então, se você encontrasse um diamante no seu quintal, teria direito a ficar com ele, hahaha. Mais um motivo pra amar meu doidinho.

 

Uma semana depois de ir ao médico, passei pelo laboratório só pra ver a validade do pedido de exame. Disseram que é de um mês. Conhecendo a minha postergação doentia, agora mesmo é que eu vou demorar tanto pra fazer os exames que, quando finalmente me decidir, não vai ter mais motivo pro médico analisar os resultados : vou estar careca feito uma bola de boliche... e tão redonda quanto.

 

Aliás, achei super estranho o dermatologista olhar meu cabelo de longe, nem perguntar se ele (o cabelo) tá caindo com raiz ou quebradinho, nem tocar o couro cabeludo pra ver se a oleosidade tá dentro do normal e nem perguntar de doenças crônicas ou hereditárias – se eu não vou falando, ele continuaria sem saber. Aliás, ultimamente a maioria dos médicos mal faz perguntas e praticamente não toca na gente. Será coisa geral, por medo de acusação de assédio, por exemplo, ou será só comigo, e só porque eu não tenho mais 20 anos e 50 kg ? Confesso que quase comecei a cantar pra ele aquela música do Chico que diz “Põe as mãos em mim”, mas aí fiquei com medo do doutor bancar o House pra cima de mim e me introduzir um termômetro  pela terceira via... aí me conformei e fui embora caladinha.

 

Chego na agência, começo a ler o jornal e vejo que ainda resta uma esperança. Depois do “um homem cuja uma doença”, do “dar muitas e muitas asas para a imaginação” e outras belezinhas da semana passada, hoje saiu um “cujo” usado da forma correta na primeira página. Dá até medo.

 

Em outra manchete, vejo que a “Mãe de bebê abandonado não aparece”. Me perdoem a maldade e o coração duro, mas assim, se a mulher queria abandonar o bebê quando ele nasceu, por que ela iria aparecer justo agora, quando ainda por cima iria em cana se fosse encontrada ? A situação toda me lembrou da minha amiga que, ao telefonar pra gente da estrada pra dizer que não conseguia chegar à chácara porque estava perdida, respondeu à nossa pergunta “Onde é que cê tá ?” com lógica irrepreensível : “se eu soubesse, não tava perdida...”

 

Isso de falar sem pensar antes e acabar parecendo uma besta escrota sem coração não é privilégio meu nem de ministros e chefes de estado, não. A tal estudante brasileira que estava no campus da Virginia Tech quando ocorreu o tiroteio disse ao jornal daqui, em entrevista por telefone, “Graças a Deus não tenho amigos entre as vítimas”. Ah, bom, se nenhuma das mais de 60 pessoas feridas ou mortas era amiga dela, então que se fodam todas, né ? E acho que a implicância não é só minha, não : o jornalista que a entrevistou também deve ter ficado chocado. Pelo menos esta é a única explicação que eu vejo pra ele ter escrito tragédia com J.

 

Ainda sobre o massacre, agora tá lá toda a politicalha mundial se dizendo chocada, entristecida e fazendo minutinhos de silêncio em plenário pelas vítimas. Sinceramente, se um dia eu morrer por motivos que governo e políticos poderiam ter, ainda que indiretamente, evitado, digam a eles que podem enfiar sua tristeza, seu choque e todos os seus minutos de silêncio bem fundo lá onde o sol não bate. De preferência, junto com um inhame selvagem, daqueles especialmente grandes e cheios de brotinhos laterais.

 

Pra mim, a grande vantagem dos conservadores, dos moralistas, dos direitistas, dos seachantes donos da verdade e de outros bichos de igual calibre é que eles funcionam como um espelho deformante : quando a gente os lê ou ouve,  ao reconhecer em suas deblaterações traços de impressões ou pensamentos nossos, ainda que grotescamente exagerados, ficamos tão horrorizados que passamos a examinar melhor nossas opiniões e, frequentemente, mudá-las, em maior ou menor grau. Isto posto, viva o Arghnaldo J’abhorre.

 

Sueco de 73 anos vai trocar de sexo. Ou ele é o cara mais otimista da história ou arrumou um jeito super-ultra radical de continuar sexualmente ativo sem precisar tomar Viagra.

 

Saindo dos cadernos mais “nobres” e passando rapidamente pelos classificados, me assalta a dúvida : por que é que os anúncios de roupas e calçados de griffe para mocinhas riquinhas de família sempre mostram bundas, peitos e caras de vagaba, e os de casas de, hã, “shows adultos” sempre mostram - em close - somente os angelicais rostos das pu... ahem, das “artistas” ? E principalmente, por que-oh por que será que tantas delas usam (aiaiai) aparelho nos dentes ?!



Escrito por Cynthia às 09h32
[] [envie esta mensagem]



WAKE UP AND SMELL THE... BACON ?!

Tem dias - segundas-feiras, principalmente - em que tudo de que eu precisava era um despertador destes...

Não falta inventarem mais nada, mesmo : agora tem despertador com cheiro. E também com um som muito sutil e especial : o chiadinho do bacon ficando dourado e crocante. Verdade que o quarto e as roupas de cama do feliz proprietário de um aparelhinho destes provavelmente vão ficar com aroma natural de porco defumado por um bom tempo, e o despertado pode até ficar se sentindo um baconzito, mas pelo menos começa o dia bem menos traumatizado do que com o bip, biiip, biiiip, biiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiip histérico do despertador habitual...



Escrito por Cynthia às 07h52
[] [envie esta mensagem]



BLESS YOU, MR. VONNEGUT

ou mais apropriadamente, GOODBYE, MY LOVE

"Hey Cynthia, babe. Why did you have to come to life so late - and so far away ?!"

Hey, Kilgore Trout, you Man Without a Country , you Deadeye Dick, you dog, you. Finally worn out your Welcome to the Monkeyhouse , huh ? Don’t worry, you've always been Pearls Before Swine anyway. Now that you have accepted the call from The Sirens of Titan , got shipwrecked in the Galapagos , fell asleep in a Cat’s Cradle , walked into Slaughterhouse 5 , responded to Mother Night’s dark embrace, was hit hard by the Slapstick, just like a Canary in a Cat House , a proper Jailbird , now that no Bluebeard can save you... now that no Breakfast of Champions can bring you back, no Player Piano  can make you dance or sing again, no Hocus Pocus can revive you, no Timequake  can undo what is done, and there are no Fates Worse Than Death on your horizon, is it too late to say that to me you were Sun, Moon, Star ? That I love, I always have loved  and I always will love you? Well, I do, I have,  and I will, and though neither of us really believes in Him, I just have to say, God Bless You, Mr. Vonnegut .

 

Em inglês, pra ele, e em português, pra vocês :

 

E aí, Kilgore Trout, Homem Sem Pátria, seu Bode Vermelho sem-vergonha. Finalmente não é mais Bem-Vindo à Jaula dos Macacos, hem ? Esquenta não, você sempre foi um caso típico de Pérolas aos Porcos, de qualquer forma. Agora que você atendeu ao chamado das Sereias de Titã, naufragou em Galápagos, caiu no sono numa Cama-de-Gato, entrou no Matadouro 5, correspondeu ao abraço gelado da Mãe Noite, levou uma torta na cara feito uma cena de Pastelão, apanhou que nem um Canário Entre Gatos, um verdadeiro Pássaro na Gaiola, agora que nenhum Barba Azul pode te salvar, nenhum Café da Manhã dos Campeões te restaurar, nenhum Tocador de Piano pode te fazer dançar ou cantar novamente, nenhum Abracadabra pode te ressuscitar num passe de mágica, nenhum Tempomoto pode desfazer o que foi feito, e que não há mais Destinos Piores que a Morte no seu horizonte, será tarde demais pra te dizer que pra mim você era Sol, Lua e Estrela ? Que eu te amo, sempre te amei e sempre amarei ? Bom, agora eu já disse. E apesar de nenhum de nós dois realmente acreditar nEle, eu tenho que te dizer : Deus te Abençoe, Mr. Vonnegut.

 

 :õ(



Escrito por Cynthia às 08h20
[] [envie esta mensagem]



DIÁLOGOS BOBOS DE DOIS MODELOS :

GINECO-PROCTO-UROLÓGICOS...

- Que merda, nem pude fazer a caminhada hoje, o pessoal me segurou lá na agência até agora por causa de bobagem.

- Sinto muito, baby.

- Caraio, essa agência tá me fazendo mal de todas as formas. Psicologicamente, fisicamente....

- ... até ginecologicamente, né, lindo ?

- Hem ?

- É que pela sua cara, tá faltando issaqui pra você parir uma cesta de gatos...

 


 

- Zizuis, me abana, olha o nome do coitado sendo entrevistado aqui na TV !

- Fulaninho... Matos do Rego !!?

- Deve ter apelido de “cuelho” desde criança sem saber por quê.

- E receber spam de salão de depilação o tempo todo...

 


 

- ...aí a mulé do chefe veio me perguntar por que eu não fui à festa ontem e eu falei que foi porque eu tive um probleminha de saúde.

- Hehehehe, sei. Insuficiência testicular, né ?

 


 

Locutor na TV        ... é o único inseticida que acaba com os insetos e seus ovos, onde quer que estejam...

Gatim                   Epa, pó parar ! Os meus ovos ninguém tasca !!

 

 

...E SIMPLESMENTE IMBECIS

 

 

- E a Tati, tá gostando do trabalho novo, na loja de CDs ?

- Tá, mas ela ainda tá meio limitada ao rock. Ela precisa conhecer mais de música, principalmente as da nossa época.

- Ah, mas já conhece, não ? Só o que ela ouve os seus CDs desde pequena...

- É, mas diz que outro dia um cliente pediu um CD do César Camargo Mariano e ela achou que fosse César Camargo & Mariano, e fosse dupla sertaneja...

- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA...

 


- Acabei de descobrir qual o celular da Allisson Dubois !!

- Qual ?

- Hello, Morto !!

 


 

- ... é, mas aí ele não seria putativo.

- Hahaha, não, lindo, cê quer dizer “imputável”

- Ah, sei lá, uma putaria dessas, aí.



Escrito por Cynthia às 07h24
[] [envie esta mensagem]



MR. EKO ADVERTE...

Não tem lights com filtro, não ?

O FUMO MATA MESMO !



Escrito por Cynthia às 20h45
[] [envie esta mensagem]



COELHINHO DA PÁSCOA, QUE TRAZES PRA MIM ?

FELIZ PÁSCOA, MENINOS. QUE O FERIADO LHES SEJA DOCE... E NÃO PESE NA BALANÇA DEPOIS.



Escrito por Cynthia às 12h35
[] [envie esta mensagem]



QUEM NÃO CRIA... CRITICA !

Finalmente vimos o Cinema, Aspirinas e Urubus. Gostei. Muito mesmo. Até porque ele segue aquela mesma linha do Céu de Suely, com gente falando e se comportando de forma muito diferente do que estamos habituados a ver nas produções brasileiras, ou seja, ele é cheio de gente que age como se fosse, sei lá, humana. Coisa estranhíssima no cinema nacional, quase um escândalo, praticamente uma aberração. Falar em escândalo, o que é aquele alemão, hem ? Heil, Johann !!  

 

Outro filminho em DVD, este um tailandês, que eu quis pegar por causa de uma ou duas cenas arrepiantes do trailer, revelou-se como sendo não de terror, mas sim de rito de passagem, com poucos erros feios – porém desculpáveis – e um sério, de continuidade, que, se fosse na China, provavelmente daria em tiro na nuca do continuísta e o envio da conta da bala pra família. Mas o filme é fofo. Tem sacadas muito legais, alguns efeitos visuais sutis e interessantes e unzinho péssimo, pelo menos duas personagens que não caem no óbvio contra todas as expectativas, enfim, é bem legal. O menino que interpreta o papel principal é lindo, talentoso e transmite raiva, saudade, humilhação e orgulho tudo ao mesmo tempo, numa cena de choro mal engolido e disfarçado, de uns cinco segundos, como pouca gente grande com 20 anos de carreira consegue. No final das contas, o filme é até previsível, é meio Sexto Sentido in Thai, mas eu a-do-rei. É, no fundo eu sou uma sentimental. Todos nós herdamos no sangue lusitano uma boa dosagem de lirismo etc.

 

Ao Novo Mundo o gatim assistiu sozinho. Eu sei que é do Terrence Malick e tudo, e o gatim gostou muito, mas eu tinha que trabalhar de verdade no sábado, praticamente com uma faca na garganta, e não tava disposta a ir dormir tarde por conta do miquinho-metido-a-sexy Colin Farrell. My mistake. Que aliás, como tantos dos meus erros, eu assumo e nem lamento. Eu precisava dormir, precisava trabalhar. Dormi e trabalhei. Valeu.

 

A Última Noite. Mais meigo que ácido, como seria de se esperar, eu achei. E muito engraçado. Se é bom ? Claro, pô, é do Altman, né ? E do PT Anderson também, que apesar de praticamente ter dirigido metade do filme e de aparecer no making of a toda hora, não foi mencionado nem uma vez e nem deu entrevista. Não sei se a iniciativa foi dele, mas fiquei ainda mais fã do carinha, da sua elegância e visão de que, não importa quem teve que ficar de pé e falar com os atores, o filme é do Altman, sempre foi e sempre será. Apesar de que, se existir um céu e o Kubrick estiver nele, deve estar torrando o saquinho do Robert pra trocar de último filme com ele. E o Altman nem lá, fingindo que está dormindo, com os olhos... arregaladamente fechados (?), hohoho.

 

 

...mas eu queria mesmo era ter visto Happy Feet. Ah, fica pra semana que vem.

 

:o)



Escrito por Cynthia às 08h34
[] [envie esta mensagem]



OU ENTÃO PIANISTA NUM PUTEIRO

Eu sei, eu sei, eu sou uma mulherzinha esquentada, mal-humorada, de pavio curto e azeda, que implica com tudo e com todos e não consegue nem usar os mais simples truques pra se acalmar, como contar até 259 de trás pra frente - e em grego© ! -, ressoar um ohmmm entre o palato duro e o mole até estilhaçar todas as janelas do prédio ou visualizar oitenta e quatro elefantes azul-cobalto com collants de lamê fúcsia, cílios postiços verde-metálicos e sapatos amarelos de plataforma dançando a coreografia do Donald O’Connor para Make’em Laugh em cima do objeto da minha irritação. Então vou pedir a ajuda de vocês – e não precisam nem ser universitários, tá ? - para definir qual a melhor resposta para a próxima vez que alguém chegar pra mim (que tenho aproximadamente 24 anos de profissão e competência comprovada), e me perguntar, com aquele arzinho displicente, entre superior e desinteressado : “E você, ainda tá em propaganda” ? Se vocês acharem que nenhuma das respostas que me ocorreram é a ideal, podem sugerir outras. Estas são as minhas opções :

 

a)     Não, propaganda foi mês passado, depois da engenharia nuclear de fevereiro. Este mês eu tô em nanotecnologia... e tô pensando em atacar de encanadora no mês que vem, o que cê acha ?

 

b)     Tô sim... e você, ainda tá em medicina/arquitetura/direito/engenharia ou já achou uma profissão de verdade ?

 

c)     Nah, cansei dessa vida. Agora eu quero é ser puta, pobre e morar em Minaçu.

 

 

d)     Continuo, continuo. Só que agora eu não faço mais locução em carro de som não, agora eu sou coladora de outdoor.

 

 

e)     Mais ou menos. Agora eu trabalho numa agência de casting. Esta semana, por exemplo tô procurando só gente muito feia, prum comercial de cachaça. Me dá seu telefone ?

 

f)       Não, querido(a), cê tá se confundindo, eu sou é Titular da Delegacia de Costumes. Não lembra que eu prendi tua mãe por lenocínio no fim do ano passado?

 

g)     Propaganda, eu ? Quem foi que falou isso ? Nãããão, eu nunca trabalhei nisso não, eu sou é faxineira no Hospital do Câncer. Aliás, anteontem eu vi um tumor no lixo do Centro Cirúrgico igualzinho a essa pinta aí no seu braço. Bom olhar isso, viu ? Parece que o de o de lá não acabou bem, não...

 

 

©Jeff Boam

 

 



Escrito por Cynthia às 09h28
[] [envie esta mensagem]



[ ver mensagens anteriores ]





Meu perfil
BRASIL, Mulher, de 46 a 55 anos, Portuguese, English, Cinema e vídeo, Livros


 


Histórico
01/08/2017 a 31/08/2017
01/05/2017 a 31/05/2017
01/02/2017 a 28/02/2017
01/01/2017 a 31/01/2017
01/11/2016 a 30/11/2016
01/09/2016 a 30/09/2016
01/06/2016 a 30/06/2016
01/05/2016 a 31/05/2016
01/04/2016 a 30/04/2016
01/02/2016 a 29/02/2016
01/11/2015 a 30/11/2015
01/09/2015 a 30/09/2015
01/08/2015 a 31/08/2015
01/07/2015 a 31/07/2015
01/06/2015 a 30/06/2015
01/03/2015 a 31/03/2015
01/11/2014 a 30/11/2014
01/10/2013 a 31/10/2013
01/09/2013 a 30/09/2013
01/05/2013 a 31/05/2013
01/02/2013 a 28/02/2013
01/10/2012 a 31/10/2012
01/08/2012 a 31/08/2012
01/07/2012 a 31/07/2012
01/05/2012 a 31/05/2012
01/02/2010 a 28/02/2010
01/01/2010 a 31/01/2010
01/12/2009 a 31/12/2009
01/09/2009 a 30/09/2009
01/07/2009 a 31/07/2009
01/06/2009 a 30/06/2009
01/05/2009 a 31/05/2009
01/04/2009 a 30/04/2009
01/03/2009 a 31/03/2009
01/02/2009 a 28/02/2009
01/01/2009 a 31/01/2009
01/12/2008 a 31/12/2008
01/11/2008 a 30/11/2008
01/10/2008 a 31/10/2008
01/09/2008 a 30/09/2008
01/08/2008 a 31/08/2008
01/07/2008 a 31/07/2008
01/06/2008 a 30/06/2008
01/05/2008 a 31/05/2008
01/04/2008 a 30/04/2008
01/03/2008 a 31/03/2008
01/02/2008 a 29/02/2008
01/01/2008 a 31/01/2008
01/12/2007 a 31/12/2007
01/11/2007 a 30/11/2007
01/10/2007 a 31/10/2007
01/09/2007 a 30/09/2007
01/08/2007 a 31/08/2007
01/07/2007 a 31/07/2007
01/06/2007 a 30/06/2007
01/05/2007 a 31/05/2007
01/04/2007 a 30/04/2007
01/03/2007 a 31/03/2007
01/02/2007 a 28/02/2007
01/01/2007 a 31/01/2007
01/12/2006 a 31/12/2006
01/11/2006 a 30/11/2006
01/10/2006 a 31/10/2006
01/09/2006 a 30/09/2006
01/08/2006 a 31/08/2006
01/07/2006 a 31/07/2006
01/06/2006 a 30/06/2006
01/05/2006 a 31/05/2006
01/04/2006 a 30/04/2006
01/03/2006 a 31/03/2006
01/02/2006 a 28/02/2006
01/01/2006 a 31/01/2006
01/12/2005 a 31/12/2005
01/11/2005 a 30/11/2005
01/10/2005 a 31/10/2005
01/09/2005 a 30/09/2005
01/08/2005 a 31/08/2005
01/07/2005 a 31/07/2005
01/06/2005 a 30/06/2005
01/05/2005 a 31/05/2005
01/04/2005 a 30/04/2005
01/03/2005 a 31/03/2005
01/02/2005 a 28/02/2005
01/01/2005 a 31/01/2005
01/12/2004 a 31/12/2004
01/11/2004 a 30/11/2004
01/10/2004 a 31/10/2004
01/09/2004 a 30/09/2004
01/08/2004 a 31/08/2004
01/07/2004 a 31/07/2004
01/06/2004 a 30/06/2004
01/05/2004 a 31/05/2004


Outros sites
Gatim Forever
Fal
Scarlet Cam
Crônicas Urbanas
Ma Helena & Chris
Smorgasblogs
Fridas
Marcio Gaspar
Avant dernière
Zeno & Pinto
Ratapulgo
Mau humor
Mme Mean (& Belly !)
Max
O Bagaço da Laranja
Inagaki
Solange
Jean Boechat
Rozzana
Malvados
Catarina (with a ghostwriting mum)
Yara
Milton Ribeiro

rmx, el pupo et al
Catarro Verde
Cláudia Lyra
Patty Diphusa
Blog da Xará
Dito assim
Hermenauta
Paula
Claudio Luiz
l.
Carla
He Is Evil
Edu
Kris
Lu
Renata
Idelber
Lola
Pausa
Sambambaia psicótica
Rubão
Beth
LuiGu
Tec
Silvana
Uh Baby
Celinho
Dalva
Carol
Reverberações
Adrina
Viking Zen
Deh
Zé da Goma
Bela
Calexico
Googa Alayon
Meg Marques
Nervocalm gotas
Non importa dove
Tati Perolada
Pedro
Jojo
Dra. Cristiane
Tuca
Pat Köhler
Marcos VP
Cyn City - The old town
BBC (Ivan Lessa)
Mutts
Post a secret
Cattoons
Orneryboy
Her !
Rose is Rose
Clientcopia
Comix w/o words
Cute (kids') games
AJUDE O INSTITUTO CISNE
Zé Simão







UOL
adopt your own virtual pet!